Contra a tentativa de extinção da CDL

  Abaixo assinado contra a tentativa de  extinção da CDL visando o   regresso ao seu  normal  funcionamento 

 e abertura de eventuais  negociações com a CML para que seja encontrado espaço de trabalho e abertura dos Teatros Municipais  à Companhia de Dança de Lisboa

 

                                                                             http://www.PetitionOnline.com/NdespCDL/petition.html

 

                                       ( Clique com o rato ou Seleccione, copie e descarregue no Internet Explorer )

                                                                            a proposito da  notícia do "EXPRESSO" - em 14.12.01  e actuais...

    

 

     Against attempt of extinction of

 Lisbon Dance Company

 which in 2009 would have 25 years since its foundation as a national and international recognized dance company.

 For the sake of truth and transparency of acts of the Executive of CML, it is demanded that the common sense prevail and the point number two of the recommendation, democratically approved on 20/11/07 by the Assembleia Municipal de Lisboa, is respected and worthy conditions of work are given to Lisbon Dance Company and its school.

For the return of a place which degradation closed what was opened for 20 years to the city, its people and its visitors.

After the disappearance of Ballet Gulbenkian, LDC is the second oldest dance company in PortugaVisit www.cidadevirtual.pt/cdl and you will be able to know better its artistic and cultural  journey.

       Mentioned above,

http://www. PetitionOnline.com/NdespCDL/petition.html,

 

 

ler artigo de opinião  " Uns dançam...outros não " -

em  O PÚBLICO edição de 29.12.07 

 

    

 

 

 

 

                                                                                                             

 

A tentativa de extinção da Companhia de Dança de Lisboa pela Direcção Municipal da Cultura da CML

 

  Em nome da verdade !    

e do facto de cerca de sessenta anos depois a  CDL ter sido  despejada por processos idênticas ao que foi Carlos Botelho, o pintor de Lisboa.

   Se o Executivo Camarário tinha em conta o perigo eminente de uma catástrofe, nomeadamente um incêndio, porque razão alertada pela CDL, desde 1987 

para os perigos e ambiente insalubre,em que vivia o idoso homem que há cerca de trinta anos ocupava ilegalmente o espaço que  serviu de moradia e “atelier da costa do castelo” ao pintor Carlos Botelho, entre os anos vinte e cinquenta do século passado, persistiu em manter  a sua presença nunca se tendo importado com os alertas da CDL que em 1991 chegou a conseguir dos Serviços Sociais do Gabinete M. da Mouraria que omesmo fosse alojado num lar. Foram ao contrário do afirmado pelo Director Municipal da Cultura (DM da Cultura), efectuadas múltiplas visitas a esse espaço,  o referido director foi também convidado em finais de  2005, nem resposta se dignou dar. Entre milhares  de visitantes aos Andares Nobres do PMT, destaque para alguns daqueles nomes que desde 1987 foram dirigidos à referida residência.

 Em 1992 o Arq. Rafael Botelho e o Vereador Eng. Rui Godinho,  e várias vezes o Arquitecto da EBHAL / EGEAC. Há um ano foi a vez do Vereador José Sá Fernandes.  No dia 21.11.07, data da notificação para o despejo, Leonor Figueiredo do DN.

Sobre as intenções e métodos utilizados pela CML para o ataque soes à CDL através de uma operação planeada com a colaboração de alguma comunicação social, destaque para a SIC Noticias e O Público que mantêm on line as atoardas que se dispuseram a difundir para assim dar cobertura ao golpe da D M da Cultura da CML que desta forma pode reaver o uso dos andares nobres do P M Te na continuação das suas verdadeiras intenções  preparar o terreno para a alienação do património municipal.

Se dúvidas houvesse, o referido director de nome Rui Pereira, diz à SIC Noticias entre titubeantes declarações caluniosas e imagens da casa do idoso que  felizmente o Director da CDL foi preso, ao mesmo tempo que afasta com recurso à PM, um Jornalista que não podia aceitar o que estava a ouvir, protesto enviado ao Sindicato da classe. 

Há vinte anos e não há catorze, a CDL que tem um Protocolo válido até 2013, travou a degradação do P M T, investindo ao longo destes anos mais  de 300.000 Euros na sua requalificação, para além de o ter ocupado com actividades internacionalmente reconhecidas. Contrariamente ao afirmado pelo DM da Cultura, no local, a CDL sempre cumpriu com as suas obrigações, nunca subalugou  qualquer espaço e mantinha o mesmo, nas áreas da sua responsabilidade, nas melhores condições de higiene e livre de botijas de gás que desde há doze anos se encontrava canalizado  pela SIMOGÁS, actual REPSOL, encontrando-se as suas garrafas no exterior, ao contrário daquelas que são referidas e que estavam na casa do , “lixeiro” de profissão que não é demais referir a CML distinguiu, uma vez que ao contrário dos bailarinos e do Director  da CDL  se encontra alojado  com alimentação assegurada a expensas da CML. Vão alegar tratar-se de razões humanitárias, enquanto os bailarinos e o Director são tratados como  párias. Ao Director  têm dificultado o acesso, ao essencial dos seus bens pessoais e ao recheio constituído para além de obras de arte, milhares de Cassetes vídeo, centenas de C D's  e  de  cerca de 15.000 livros que integravam o espólio do Centro de Documentação da Companhia. 

Na residência do "lixeiro" mantêm tudo intacto. Quanto à da CDL, foi despejada com autêntico òdio. Será que o idoso, tratado por "guarda" ainda lá vai regressar? Ele revelou-se de extrema utilidade aos interesses da CML mas representa  um perigo pois poderá requerer o "uso capião". Há mais de vinte anos sem pagar qualquer renda!... A CDL é só uma prestigiada instituição de carácter cultural.....importante para certos senhores é importar “Pinas Bausch” e similares e naturalmente ver subir o défice da EGEAC  e as suas contas pessoais. Estamos a falar da segunda Companhia mais antiga em Portugal, cabe lembrar a extinção do Ballet Gulbenkian, cujo único "crime" é ser independente  e não se calar face à discriminação e às  consequentes más condições  financeiras daí resultantes.  A prova está no Acórdão do STA de Julho de 2007, favorável à CDL, mas que o MC, pelo Despacho do SEC de 17 de Outubro de 2007 se furta a executar, obrigando-nos a interpor nova acção judicial ! 

 

O Presidente da CML e a Senhora Vereadora da Cultura, desde que tomaram posse não  responderam a dezenas de contactos por e-mail e telefone, 

com convites da CDL, para visitar o espaço / sede da Companhia e apresentação de um projecto destinado a envolver alunos e professores das Escolas Municipais do Ensino Básico da CML. 

 

Preferiram aceitar o presente envenenado do responsável pela abertura da “crise” que enquanto SEC, optou em nunca aceitar o convite para conhecer a CDL preferindo envolver-se com um bailarino da Companhia. Em inícios de 2006, já como Vereador da CML recorreu a todo tipo de calúnias, cabal e oportunamente desmentidas, para forçar o despejo. Atoardas essas repetidas agora pelo seu / actual DM da Cultura, para assim, sem conhecimento da verdade, ser “justificado” este desfecho.

 

Depois de terem aceite adiar o mesmo, uma vez este consumado, cabe ao Presidente da CML, Dr. António Costa, ao sabermos que o mesmo terá sido mal informado sobre as intenções da CDL que aguardava início das conversações, como sinal de transparência de processos da parte do Executivo, ao terem optado pelo recurso à força ignorando a realidade, tomar posição diferente, nos termos do ponto dois da  Recomendação da AM de Lisboa de 20.11.07, e determinar a reposição da CDL e seus haveres no espaço onde legitimamente se encontrava até 29.11.07, acautelados todos os itens de segurança,  de forma a permitir à Companhia de Dança de Lisboa prosseguir com as suas actividades, abrindo-lhe os Teatros Municipais e cumprir os seus compromissos, tais como, criação de bailados e seus ensaios, aulas de dança de diferentes níveis  e apresentação de espectáculos,  já agendados a nível nacional e internacional para 2008.

 

 Se tal se justificar da parte da CML a abertura imediata de negociações tendo em vista o encontrar de um espaço alternativo para a CDL, comprometendo-se esta a aceitar, 

 

no interesse das partes, o acordo que vier a ser encontrado.

         

       Reportagem no Jornal da Tarde da SIC Noticias de 29.11.2007

 

  Deliberação 7/CONT-TV/2008 da ERC (Entidade Reguladora para a CS) em 14 de Maio 2008 - www.erc.pt/

A degradação do Palácio dos Marqueses de Tancos

     Antes do assalto a requalificação do PMT, e da Costa do Castelo pela CDL

A CDL estava há 14 anos no PMT

         – Estava há 20 anos

Sobreviveu ao Terramoto de 1755 mas não à gestão da CDL

-    A CDL recebeu-o em adiantado estado de degradação ( entre 1987 e 1992

Foram retiradas com o apoio da CML cerca de 200 pequenas camionetas de

entulho e lixo em resultado das obras de requalificação que a CDL empreendeu

gastos cerca de 400.000 €, em 20 anos.  Testemunho do Senhor Professor JAF.

 

 

A CDL apenas mantinha o nome daquela que foi em tempos uma grande referência na área da dança

-    imagens da porta arrombada, pela CML, nessa madrugada.

 

A CDL continua, mesmo sem apoios relevantes( recebeu um total de 92.000€ do MC nos últimos 12 anos), a honrar Portugal e a cidade que lhe dá nome.

Testemunhos(2000 e 2007) em anexo.         

 

       

" Companhia de Dança  na Bienal de Arte Jovem  

                         Lisboa maravilha Barcelona "   

        " Apesar de coincidir com a apresentação em Barcelona do novo grupo de Maurice Béjart, a CDL conseguiu encher a sala para a sua exibição no âmbito da Bienal de Arte Jovem dos Países Meditrânicos que está a decorrer naquela cidade, com a presença de 600 participantes de sete países. A actuação da Companhia constituiu um enorme êxito. O público aclamou os bailarinos de pé durante dez minutos..."

                   Isabel Gantes      in  Diário de Notícias  16.1

 

ZeebruggeBrugge90-Stadsschouwburg

      500 anos do Porto de Brugge

"A CDL move-se a nível internacional " .... 

                                            in HET NIEUWSBLAD-90.07.03

“....O profissionalismo, dedicação e empenho demonstrados por todos os integrantes da Companhia de Dança de Lisboa, ....,  deve ser motivo de orgulho para Portugal. “

                  

                                                                                    Fernando Guimarães

   Gerente de Programação

 Teatro ALFA - São Paulo – Brasil -  Junho 2004

 

”...Os espectáculos apresentados no Teatro Alfa nos dias 3 e  4 de junho, para um público

constituído por alunos da rede municipal de ensino e seus professores. Pela reacção positiva dos espectadores, temos a convicção

 de que as sessões pedagógicas contribuíram de maneira significativa para o enriquecimento cultural dessas crianças.”...

                         Hugo Malavolta -  Secretaria Municipal de Cultura
                           São Paulo  Brasil

      

                   ...”Queremos atestar que a CDL emocionou as platéias com sua técnica e poesia,

               pelo que cremos que todo apoio institucional lhes deve ser garantido.

                  A CDL constitui motivo de orgulho para as comunidades de Portugal e do Brasil.”...

                            Sinceramente, 

                           Nara Vasconcelos -  Diretora

                                                                                                     Teatro José de Alencar – Fortaleza * 2003

 

          ---- Original Message -----

To: cdlisbondanceco@mail.telepac.pt

Sent: Thursday, March 15, 2007 10:26 AM

      EMBAIXADA DE PORTUGAL

       em Pretória

   À Companhia de Dança de Lisboa

 Att. Senhor Director José Manuel de Oliveira

  Dando seguimento ao que por outra via já tive oportunidade de lhe dizer pessoalmente,

 gostaria por este meio de lhe agradecer o convite que me dirigiu para estar presente num dos 

espectáculos que a CDL apresentou na Cidade do Cabo.

 Foi do ponto de vista pessoal muito gratificante ter podido apreciar a beleza do que foi produzido, especialmente 

valorizando o lado artístico pelo muito oportuno relevo dado ao encontro de culturas e civilizações de que nós 

portugueses fomos percursores nesta região.

            Melhores cumprimentos

                Paulo Barbosa Embaixador

                                           Rui Horta, Olga Roriz e Vasco Wellecamp foram corridos por José Manuel Oliveira

             Rui Horta,  1984 /Maio de 1987,  saiu por sua iniciativa.  

            Excertos da carta enviada de NY por Rui Horta,  em Setembro de 1987 :

" Caro Zé, Só umas breves linhas aqui de New  York. Gostei de te ver da última vez em Lisboa...A única coisa que te quero dizer é: Conta com a minha ajuda para o que for preciso. Espero que acertes as coisas com o Mark.  Estarei a teu lado para o que necessitares...A única coisa que desejo é ver a CDL de novo a 100%...terei todo o prazer em ajudar-te, conta comigo ! Um abraço amigo do Rui"

 

             Olga Roriz 1993 / 1994 saiu para fundar a sua própria Companhia.  

              Vasco Wellecamp  nunca pertenceu á CDL

 

O PMT foi cedido à CDL em 1993

O Palácio foi cedido à CDL em 1987 e assinado um Protocolo, em virtude da intervenção levada a cabo pela CDL que travou a degradação do mesmo. Este Protocolo foi, aliás, uma promessa quer do Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, na companhia do Dr. Vitor Gonçalves, quer dos representantes da Candidatura do Dr. Jorge Sampaio, aquando das visitas que nos fizeram em 1989, durante a Campanha para as Eleições Autárquicas. De primeiro em 1991 e em definitivo em 1993.  Válido até  2013.

 

  O despejo ficou a dever-se a diversos incumprimentos, tais como sub aluguer

  Imagens da desorganização do espaço – armários de portas abertas e peças de guarda roupa da CDL espalhados

       A CDL nunca sub alugou e em normais condições tudo se mantinha em perfeita arrumação.

             Em anexo Resposta à CML

 

O Director Municipal da Cultura da CML – Rui Pereira afirma afirma que tem provas que a CDL sub alocava o espaço e só pagava 25 cêntimos, 50$ na  moeda antiga e que os bailarinos, residentes entre aspas, pagavam para residir

        A CDL nunca sub alugou qualquer espaço e pagava 50 cêntimos, 100$ na moeda antiga. Os bailarinos nunca  pagaram para residir. A residência era parte da sua condição como estagiários.

 

 

 Testemunho de Ana Cabral :

Exmo Sr. José Manuel Oliveira,

Tendo sabido que a Companhia de Dança de Lisboa neste momento não tem mais o espaço onde se encontrava sediada, venho pela presente dar o meu testemunho sobre o período em que fui parte da Companhia. Quem sabe isto possa ajudar de alguma maneira a conseguir recuperar o acesso ao Palácio dos Marqueses de Tancos ou a um lugar alternativo de onde a CDL possa continuar a iluminar o espaço cultural do nosso pais e de tantos outros de origem lusofona ou não.

 Quero referir que como bailarina residente considero que o Palácio de Tancos oferecia as condições necessárias para acolher os  bailarinos em todos os aspectos. Todos os quartos tinham televisão, existiam salas de convivio, biblioteca  e claro o indispensável espaço para a dança e ensaios.

 O ambiente era acolhedor e limpo diariamente.  O ambiente era propicio para ensaios e para desenvolver novas trabalhos. Um exemplo disso foi o período em que a Professora convidada Míriam Barbosa 

 Em relação à dança não posso esquecer os memoráveis momentos de convivência com bailarinos de alta qualidade, quer nos ensaios quer nos espectáculos levados a público.

 Os espectáculos Cabo da Boa Esperança’ e ‘A Cidade da Utopia’ apresentados na Africa do Sul, em Cape Town e nos Açores, na ilha de São Miguel e do Faial foram aplaudidos de pé. O repertório incorpora a musica e cultura portuguesas na coreografia de forma magistral e única.

Precisamos de um espaço!

 Atentamente, 

Ana Cabral

(actualmete no Royal Winnipeg Ballet e no Ballet de Espanha a partir de Abril)  

 

e carta de Claude Frisoni:

 

                                                                                                                                                  

                              

                                             

                                                       Companhia de Dança de Lisboa

                                                       Monsieur  José Manuel Oliveira

               Directeur

                                        R. Costa do Castelo 23

                           P - 1100 Lisboa

 

 

                     Luxembourg, le 16.12.04

 

                              Monsieur le Directeur,

 

 

                             Suite à mon agréable visite à votre compagnie, je tiens à vous exprimer mes plus vives 

                          félicitations pour la qualité de votre engagement et de votre travail artistique.

 

                            La prestation que vos danseurs ont eu l'amabilité de me présenter a eté exceptionnelle et je 

                           vous prie de les en remercier de ma part.

 

                          J'ai été également très impressionné par votre démarche en faveur de jeunes artistes qui

                          benéficient grâce à votre compagnie d'un véritable tremplin.

 

                        J'examine avec mes partenaires luxembourgeois les possibilités dún accueil de la 

                        Compagnie   au courant du deuxième semestre de 2005.

 

                         Je ne manquerai pas de vous tenir au courant de l'avancée de mes démarches.

 

                          Vous remerciant de votre accueil chaleureux,  je vous prie d'agréer,  Monsieur le Directeur,

                          l' expression de ma consideration distinguée.

                                                                                                              Claude Frisoni

                                                                                                               Directeur Géneral

 

 

Os bailarinos viviam em condições degradantes e foram enviados para as suas embaixadas que os apoiaram

        Os bailarinos foram despejados nas Embaixadas que nada fizeram. A CDL pagou a sua estadia e alimentação entre

               29 de Novembro e 20 de Dezembro em Hotel.

 

O caso mais grave é o do guarda de 78 anos. São mostradas imagens da sua casa.

         A CDL desde há 20 anos denunciava o perigo que este homem representava e não era guarda, mas sim ocupante ilegal há cerca de 30 anos.  Resposta à CML em anexo.

 

José Manuel Oliveira impedia o acesso aos funcionários da CML

         Desde à 20 anos dirigia convites frequentes a Vereadores e funcionários.

         Entre outros visitaram as instalações da CDL e do idoso os Vereadores: Rui Godinho, Rita Magrinho, José Sá Fernades e o Arquitecto da EGEAC( Arqu. Loff Barreto) por diversas vezes.

 

 

A  posição seguinte foi colocada a 30 de Novembro de 2007

 

            Em nome da verdade e contra actos atentatórios dos mais elementares direitos,  levados a cabo pela Direcção Municipal de Cultura  da CML, visando friamente extinguir a Companhia de Dança de Lisboa. 

 

            

              A  AM de Lisboa  recomendou ao Executivo da CML  suspensão do despejo notificado para 21.11.07 e início de negociações com a CDL, tendo em vista o encontrar de uma solução que assegurasse a continuação da actividade da Companhia e da sua Escola. 

               Sem qualquer contacto para início das referidas negociações e tendo sido suspenso o despejo, a CML levou a cabo no passado dia 29.11.2007, uma acção de despejo da Companhia de Dança de Lisboa (CDL) do PMT onde há 20 anos, após a sua reabilitação, a expensas da CDL, exercia dignamente a sua actividade e aonde se deveria manter até 2013, prazo de validade do Protocolo vigente. 

                                        

               Nesta data fomos alvo de uma agressão, encenada visando espalhar o terror  e causar pânico nos  bailarinos  de três diferentes nacionalidades  e visando manipular a opinião pública e destruir a sua imagem digna, pela colocação de títulos como os do Local do Jornal o Público de 30.11.07 - " A CDL despejada do PMT onde se encontrava um amontoado de lixo e cheiro nauseabundo"...., contra a Companhia que honra a sua cidade a nível nacional e internacional. Neste local somos também designados de "fantasmas", tudo isto porque não somos subsidio - dependentes como o autor dessa atoarda e de outros que em 2002 opinaram de igual forma.

           

              Em nome do direito que nos assiste e da completa clarificação dos factos de que não poderemos abdicar, exigimos início imediato das negociações com a CML e reposição das dignas condições que nos permitam  prosseguir as nossas actividades, no interesse da divulgação da arte da dança e da criação de público e interpretes.

 

 

                           José Manuel Oliveira - Director

                      

                           Irina Stupina - Mestre de Dança e Directora da Escola de Dança   

                        

                           Bibi Perestrelo - Professora de Tai Chi

 

                           Norma Flores - Bailarina

 

                       Não é demais reler os seguintes testemunhos e melhor compreender porque tiveram de recorrer ao terror !....

 

 

                                                   

 

                                                                                           

 

 

 

 

 

 

        Consequências da mola "destruidora"  que apoia  a porta de entrada da EGEAC

 

                                       

                               e que apesar de redobrados avisos, mantêm em  pleno funcionamento !  

         Nos últimos dias acentuou-se o matraquear, cujas vibrações agravam a destruição do vidrado dos azulejos.

         

                                                                                     

                                     

 

                      Consequências desta provocação no reboco da parede onde se encontra a referida porta

               de entrada e mais grave e a atenção do ex -IPPAR, os danos causados no painel do século XVIII..                           

                               

                                

                                                                                                                      

                                       

                                                                                                                                                                                                           

                                                           

 

 


Última actualização em
10.03.08

Comentários e Sugestões para C.D.L.
Realização e Patrocínio